Duke Dumont: Underground que Atrai Multidões

Duke Dumont: Underground que Atrai Multidões

“Fiz 150 shows no ano passado. São 3 por semana e 110 deles foram em outro continente. O problema é que eu não sou o tipo de pessoa que consegue gravar músicas na estrada”, brinca Duke Dumont. Como o produtor londrino terminou seu álbum de estreia, Blasé Boys Club, é um misto de milagre com a ética de trabalho do músico.

De alguma maneira, o enorme sucesso de Duke Dumont surgiu do nada. Adam George Dyment é tão despretensioso que fica fácil esquecer que ele foi um dos principais responsáveis por fazer o deep house britânico o rolo compressor que é hoje em âmbito global.

Quando o seu single “Need U 100%” subiu para a primeira posição em março de 2013, tornou-se o primeiro house track do Reino Unido a alcançar o feito em mais de uma década, o que abriu espaço para a deep house britânica ganhar espaço em escala massiva. É justo dizer que o sucesso de “Need U 100%” explodiu para outros deep house como: “Route 94” e “Gorgon City To Fill”.

Duke Dumont: Underground que Atrai Multidões
Duke Dumont: Underground que Atrai Multidões

 

Dumont foi sucesso 9 meses depois com o single “I Got U”. Quando seu terceiro single, “Won’t Look Back”, subiu para número 2 na parada britânica, o nome de Dumont começou a pintar entre os 10 melhores produtores do mundo.

Longe dos holofotes, ele continuou explorando o underground que fizeram dele sucesso no início. O sucesso multifacetado foi o que gerou para Dumont uma agenda de shows intensa, levando seu som para todo o mundo, ao mesmo tempo que iniciava seu novo trabalho musical.

No Coachella deste ano, Dumont testou seu material realizando um set ao vivo com 60 minutos de um trabalho original para uma multidão que pulou de 3.000 para 25.000 pessoas durante seu show. “Eu estava entre 2 shows de EDM e um pouco assustado”, admitiu. E contou que ao executar a música ao vivo, as coisas ficam mais difíceis.

O trabalho duro foi o que transformou seu show no que ele é hoje – algo que inspiram apresentações de artistas como Chemical Brothers e Daft Punk, em um esforço para criar uma performance que realmente reflita no artístico da música eletrônica, em vez de favorecer aos clichês culturais. Suas performances são pulsantes, mas, no fim das contas, o show não seria nada se o material de origem não fosse forte o suficiente. É por esse motivo Dumont se destaca.

O álbum também lhe deu uma chance de respirar algo novo diante de um material existente. The Giver, lançado em 2012 pela Turbo, e rapidamente se transformou um sucesso do deep house, se tornando quase um ritual para os DJ’s.

A afinidade de Dumont com deep house e seu destaque com os vocais do pop eletrônico era chavem na influência do seu trabalho. O mais engraçado sobre o sucesso de Duke Dumont é que ele não mudou de fato a maneira de fazer música, e o re-lançamento de The Giver é prova disso.

Com olhos voltados para grandes shows no Reino Unido e promissoras parcerias, Adam George Dyment parece destinado a desempenhar um grande papel na música pop britânica. Ainda assim, ele permanece com os pés no chão: “Eu não necessariamente quero ser o maior DJ do mundo, mas quero ser um dos melhores”.

Nome: Duke Dumont
País: Inglaterra
Ano de formação: 2007
Sucessos: The Giver (Reprise) e I Got U ft. Jax Jones

fonte: lollapaloozabr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *